09/09/2009

Obrigado Vítor Dias


Vítor Dias num post escrito logo a seguir ao debate entre Louçã e Sócrates transcreve antigos textos seus, em que é muito crítico em relação aos benefícios fiscais dos PPR, pelas mesmas razões que Louçã, e ressuscita um artigo de Vital Moreira, criticados por ele, que propõe algo parecido, mas não o mesmo, sobre a eliminação dos benefícios fiscais em relação às despesas com a saúde e a educação.
Provavelmente pela minha ignorância nunca tinha ouvido esta discussão sobre a supressão dos benefícios fiscais para a saúde e para a educação. Por esse motivo, tendo percebido o que queria Francisco Louçã, achei mesmo assim um pouco arriscado para as seus objectivos eleitorais propor que os gastos com a saúde e a educação não servissem para descontar no IRS. Ora Vítor Dias, que já escreveu sobre tudo, conhecia estes espantosos textos de Vital Moreira, pena é que Louçã não os conhecesse, porque de certeza deixaria Sócrates de boca à banda se lhe dissesse que esta era também a opinião do seu ideólogo de serviço Vital Moreira. Como se percebeu, Sócrates demagogicamente serviu-se deste facto para meter medo à classe média com as propostas ditas “extremistas” e “radicais” de Francisco Louçã, que afinal também eram de Vital Moreira.
Também é perceptível pela leitura que Victor Dias faz do texto de Vital Moreira que há diferenças em relação ao que propõe Louçã, sendo a sua crítica às propostas do primeiro justas.
Não sei se seria esta a intenção de Vítor Dias, mas que o seu texto serve às mil maravilhas para retirar a Louçã a sua “tentativa de eliminar as classes médias”, como afirma o primeiro-ministro, e para atacar Sócrates é um facto.

3 comentários:

Vítor Dias disse...

Caro Jorge Nascimento Fernandes:

Com esta terrível idade e o peso de décadas de polémicas e controvérsias, não páro de me admirar!

Quando o Daniel Oliveira ( e até o José Neves)vêm confirmar que a proposta do BE já foi feita pelo Vital Moreira e invocam o meu post ou memória estão a esquecer o essencial : é que eu considero, e procuro demonstrar que a proposta
de Vital e a do Bloco (se não fôr explicitada com detalhe) má, erradíssima e revelando um enorme desconhecimento de que tipo de despesas está em causa (e, a respeito das quais,é uma tonteria falar apenas de classe média).
Se há dúvidas eu esclareço: Sócrates não têm razão nos PPR e Louçã e o BE não têm razão nas despesas de educação e saúde. E encostarem-se a Vital Moreira pode ser golpe de rins de habilidade circunstancial mas, de facto, tem um horrível significado em termos de substância política.

Jorge Nascimento Fernandes disse...

Já se sabe que você o que queria como seu post era dar a ideia, sempre cara ao PCP, de que afinal as propostas do Bloco até são iguais às de Vital Moreira. Mas aqui o principal, e isso provavelmente você não se apercebeu, foi que desmontou um dos ataques mais bem sucedidos de Sócrates a Louçã ao tentar encostá-lo ao extremismo, e ao fazer a defesa da classe média, contra a pretensa eliminação que Sócrates imputava ao Bloco.
Quanto às propostas fiscais em si, como há-de compreender, o BE não se inspirou em Vital Moreira. A crítica que você faz a às propostas de Vital Moreira é justa, se não se alterar nada no preço dos serviços. Mas o Bloco, e Louçã disse-o, apesar de não o ter sublinhado, que o que propunha pressupunha a gratuitidade dos serviços. Referiu-se às propinas, aos livros escolares e às taxas moderadoras. Só não se referiu a um assunto importante que é o preço dos medicamentos. Mas a proposta do Bloco não é já para a manhã, merece pois discussão e atenção.

VÍTOR DIAS disse...

Caro Nascimento Fernandes:

Apenas para fechar: se a proposta do Bloco não é parecida com a do Vital Moreira porque razão vários bloggers da área do BE se apressaram gulosamente a aproveitar-se da minha memória de que aquela já tinha sido uma medida defendida por Vital Moreira, repito como disse nas «cerejas», no tempo em que era pisteiro e aguilhão da política de direita do governo PS ?