05/08/2008

Manta Beach Club, um caso errado de investimento autárquico


Penso que um blog não se destina só à luta ideológica serve também para denúncia de injustiças, atropelos à lei, casos de corrupção ou atitudes de prepotência das autoridades.
Neste caso a história é simples, mas ilustrativa do que é a situação de nepotismo do poder local, com a completa complacência das autoridades policiais, que deviam preservar o interesse de todos, mas que no fundo são tolerantes com quem manifestamente desrespeita a lei porque mexe lá por cima os cordelinhos.
A história conta-se em três penadas.
A praia da Manta Rota é uma das melhores do Sotavento algarvio. As sua águas são cálidas, o declive para entrar na água é muito suave, o que permite a sua utilização por crianças, o areal é imenso e, ao contrário da maioria das praias situadas nas ilhas barreira, que protegem a costa do Sotavento algarvio e que fazem parte do Parque Natural da Ria Formosa, esta tem acesso directo por carro, não necessitando de se atravessar de barco os braços da ria para se chegar à praia.
Há mais de sessenta anos que a frequento. Foi através dela que fui conhecendo a evolução do Algarve. De praia de pescadores e camponeses, com meia dúzia de veraneantes - sem luz, sem água canalizada nem saneamento básico, onde se chegava no Verão por charrete semelhante às do Far-West, a partir da estação de caminhos-de-ferro de Vila Nova de Cacela - até um vilarejo completamente descaracterizado, cheio de urbanizações turísticas, mas agora já apetrechado com as características da modernidade: luz, água e esgotos, supermercados, quiosques de venda de jornais e revistas e caixas Multibanco.
Presentemente, depois das obras patrocinadas pelo programa Polis (ver fotografia), o acesso à praia passou-se a fazer por passadiços aéreos para não deteriorar as dunas nem a sua vegetação, foram construídos amplos parques de estacionamento, onde já não nos enchemos de poeira como sucedia antigamente, há parques infantis para a pequenada e um amplo espaço central pavimentado e iluminado, interdito a carros, onde à noite se pode apanhar fresco, conversar, andar de bicicleta ou de patins. É a nova Manta Rota, como dizem os habitantes locais.
Já se sabe que não há bela sem senão: foi autorizada a construção de um restaurante em madeira, o que está correcto, mas que quebra completamente a vista sobre o mar.
Mas depois deste novo ordenamento da praia, o que se louva, logo alguém pensou que praia sem discoteca de luxo, cheia de gente VIP, não era praia que se apresentasse e então vá de montar, junto ao parque de estacionamento de automóveis localizado no lado direito de quem desce para o mar, em terrenos pertencentes ao Parque Natural da Ria Formosa, o Manta Beach Club. Ou seja, completada a obra havia que empinocá-la.
Para mim tudo bem, não penso frequentar tal espaço, nem roçar-me pelos VIP deste mundo. Mas eis que chega Sábado, dia 2 de Agosto, o barulho da mesma invade toda a Manta Rota. Tentei começar a dormir ao som de música de discoteca, não consegui, e às quatro horas da manhã, já desesperado, telefonei para a GNR local a protestar contra o ruído. A resposta que obtive foi de que nada podiam fazer, a discoteca estava licenciada pela Câmara e estava autorizada a fazer barulho e as forças policiais nem sequer tinham aparelhos para medir o ruído. Depois falei com outras pessoas que tinham ido protestar directamente junto de um carro da GNR que estava parado perto da discoteca, que obtiveram respostas semelhantes, agora com a insinuação de que haveria pressões superiores para se fechar os olhos. O próprio vereador da Câmara de Vila Real de Santo António que tinha assinado a autorização estaria presente, dizia-se. Maya, a vidente, que na estação pública de televisão realiza espectáculos de bruxaria, seria uma das principais responsáveis.
Pensei logo em corrupção: vereador recebe um tanto para deixar passar discoteca barulhenta. Tudo se conjugava: capitais sem nome, para obterem lucro, corrompiam vereador da Câmara e em conjunto com alguém do jet-set promoviam discoteca de luxo junto dos VIP deste país, não se importando com o sossego de quem queria passar umas férias descansadas na Manta Rota.
Mas afinal nada disto é verdade, a minha veia anti-capitalista não se pôde concretizar. Foi a própria Câmara, por intermédio de uma empresa municipal, a Sociedade de Gestão Urbana, que investiu 200 mil euros na montagem da discoteca, com mais outros 200 mil dos privados, e contratou Maya para gerir a parte VIP do empreendimento. Não contentes com isto, acrescentavam às notícias que aquela era uma discoteca “ecológica”, já que era possível montá-la e desmontá-la completamente.
Garanto-vos que quase não queria acreditar. Quando me disseram isto pela primeira vez, disse à pessoa em questão que andava a ouvir muito as vozes da oposição à actual vereação. Depois apresentaram-me argumentos de peso. Por último, fui ver à Internet. Era verdade.
Resumindo, a Câmara ou a empresa municipal vocacionada para estas coisas achou que a melhor maneira de lançar a Manta Rota no circuito das praias in era apoiar a criação de uma discoteca VIP. Esquece a Câmara, primeiro, que não pode ir contra o sossego dos veraneantes, segundo, que as características da Manta Rota sempre foram muito diferentes de uma praia da moda. É uma praia de famílias com filhos pequenos, pacata, que podendo ser uma “seca” para os adolescentes e para alguns jovens adultos à procura de emoções fortes, corresponde muito bem aos anseios dos seus veraneantes, não precisando de uma discoteca para se desenvolver, que é sempre o objectivo dos autarcas.
Não pode a Câmara permitir níveis de ruído inadmissíveis. Há regras na lei que impedem de certeza, mesmo com autorização camarária, que o nível de ruído ultrapasse um determinado valor e as autoridades são obrigadas a fiscalizar e a fazer cumprir essas determinações. Não podemos viver numa selva em que, por determinado empreendimento estar autorizado, é possível fechar os olhos, tornando insuportável a vida dos outros.
Quanto à discoteca “ecológica” é pura mistificação. Esquecem-se que o ruído produzido há-de necessariamente perturbar a fauna daquele frágil ecossistema que integra um Parque Natural e que um acréscimo de população há-de acarretar um maior pisoteio da zona dunar.
No fundo, isto é a história de como uma Câmara, na ânsia de agradar às populações suas votantes e para fazer progredir uma terra, consegue transformar uma acção que pretendia ser meritória num pesadelo ou transformar umas férias repousantes num inferno.
PS.: O êxito deste post continua. Já provavelmente o Manta Beach Club encerrou e ainda há anónimos a escreverem comentários sobre o tema. No post a seguir, em que prestava mais informação, acrescentei um PS em que afirmava que o barulho já era inexistente ou não incomodava. Por isso, para além de algumas questões de fundo, que acho não ser oportuno discutir neste blog, que nada tem a ver com questões de política local, o objectivo primeiro do meu post estava alcançado, era eu e a maioria dos veraneantes terem sossego para poderem dormir descansados o resto das suas férias. Por isso, dou por encerrada a polémica. Tenho muito gosto que continuem a dirimir no meu blog os vossos argumentos sobre se aquele post devia ter sido publicado, que tipo de turista é o seu autor, ou se o Manta é bom ou mau para o desenvolvimento local. No entanto, não esperem que vos dê resposta. Por mim o assunto está encerrado. Esperemos pelo próximo ano (03/09/08).

40 comentários:

Anónimo disse...

Ouça, e uma providência cautelar para encerrar a discoteca? Não consegue arranjar noutro lado um equipamento para medir a intensidade sonora?

há legislação
http://www.gnr.pt/portal/internet/legislacao/pdf/ruído_declei%209_07_17jan.pdf

há uma área da gnr que trata dessas coisas (o sepna)
Quartel do Grafanil (CSEPNA)
Quinta do Grafanil - Galinheiras
1750-121 Lisboa

Tel : 217 503 080

Fax: 217 503 086

Anónimo disse...

Há aí mais gente com a discoteca pelos cabelos. Unam-se, peçam nos hóteis, pensões e outros alojamentos o livro de reclamações por não assegurarem o isolamento sonoro. Depois, os proprietários se quiserem que se vão queixar à câmara.

Jorge Nascimento Fernandes disse...

Obrigado pelas vossas informações e sugestões. Neste momento o ruído abrandou. Provavelmente voltará no próximo fim-de-semana. A ver vamos.

Anónimo disse...

pois, mas como a maioria dos veraneantes só é chteada um fim-de-semana depois desmobilizam

Anónimo disse...

Em primeiro lugar, muito boa tarde e parabéns pelo seu Blog, gostei na generalidade.
Em relação ao "problema" Mantabeach, a minha opinião é a seguinte:
è um espaço muito bem delineado, uma excelente animaçao nocturna, e como todas as animações nocturnas...não tem bela sem senão.
O problema do ruido penso ja ser minimo e as pessoas têm de saber bem o que querem. É obvio que alguns turistas querem é sossego, mas tb é lógico que quem vive cá 12 meses por ano,e nao 15 dias ou um mês, queiram aproveitar o maximo de rendimento possivel e de uma forma "mais ou menos" sustentável. Antes queixavam-se que nao havia nada sem ser praia e sol, agora queixam-se que há ruido...
Quem nao pertence à função publica tem que dar voltas e voltas à cabeça para tentar sobreviver nesta terra onde os veraneantes pouco fazem circular os seus euros, salvo raras excepções. Em Monte Gordo, por exemplo, é visivelmente confragedor, ver o imenso movimento de pessoas, nas ruas, nos muros, mas dentro dos espaços a gastar, a consumir, não é bem assim... o empresario tem de arriscar, tem de idealizar e tem de bem-servir (o que nem sempre é o caso), não tem o seu dinheirito mensal na conta ao dia 22...
O empresario, pequeno ou grande, arrisca-se, por uma vida melhor, muitas vezes a parar na desgraça, no descredito e muito mal visto na banca, mas isso ninguem quer saber... ninguem quer saber que ele arriscou e...perdeu. Mas sabem dizer que é vigarista... e quando ele quer levantar-se sabem mais que bem, por-lhe o pé em cima para ele ir mais para o fundo.
Queixa-mo-nos que há crise, mas nao fazemos nada para suplanta-la. Em Espanha quando há festa aos fins de semana, ouve-se em Portugal, e lá nao se queixam... talvez só por isto se veja a diferença na mentalidade e de poder entre os nossos dois povos. Lá trabalha-se a serio, aqui vivemos amargurados, complexados, e amargurando quem quer trabalhar.
São estas "pequenas" crises que ajudam um País a estar SEMPRE em crise!
Lembrem-se quando foi que Portugal nao esteve em crise! Eu lembro-me e lembro-me que Portugal sempre esteve em crise, e os portugueses mais ainda. E enquanto a "nossa" mentalidade nao mudar, enquanto nao quisermos evoluir, estaremos permanentemente em crise.
Só uma nota em relaçao ao que se passou no MantaBeach de 5ª para 6ªfeira... os militares da GNR, abusando do estatuto de oficiais, queriam entrar "à borla" e logo para a zona VIP...daqui despelotou toda a bagunça... bebiam cerveja em zona nao permitida... ameaçaram e iniciaram as agressões... foi isto q aconteceu...
Boas férias para todos, divirtam-se e tolerem-se.

Maria Eduarda disse...

Em resposta ao Sr. anónimo do dia 10, gostaria de o esclarecer quanto ao que as pessoas querem. Uma coisa é animação. Sempre existiu e ultimamente tem existido quase diariamente em todas as freguesias do concelho. Outra coisa é poluição sonora, ou melhor, violência sonora ! Convenhamos...por muita crise que exista, nós já existíamos antes da discoteca e nunca passámos fome, ou será que foi a discoteca que resolveu a crise ? Se me conseguir explicar como é que uma discoteca, cujos principais frequentadores são pseudo-VIP´s que não gastam um tostão nem no espaço nem fora dele ( uma vez que são pagos a peso de ouro e têm tudo pago fora deles !), eu prometo deitar fora todos os livros de economia que já li sobre crises e economia sustentável. Sim, porque os outros frequentadores do espaço pagam para entrar e quem fica com as receitas são os VIP´s e as empresas organizadoras, uma vez que o investimento, de uns módicos 500.000 euros, foram pagos na integra por aqueles que não conseguem dormir e que trabalham muito mais no Verão para ganhar mais umas "brasas para sobreviver " como o sr diz. Nós sabemos o que queremos sim senhor, mas isso não passa por modernices dispendiosas e de propaganda da Câmara Municipal. Esta deve desenvolver a sua actividade ao serviço dos municipes e não das revistas cor de rosa e outras....Com tanta imaginação, será qua ainda não descobriram oude gastar melhor essa verba ? Eu dou uma dica ou duas: jardins de infancia e creches ( sim, porque nem todos nós trabalhamos na função pública para sair ás 17 e mesmo esses não têm onde deixar as crianças), cuidados peliativos a doentes e idosos, estradas decentes e apoios a empresas, pequenos comerciantes e industriais, etc.....gastavam menos e talvez não estivessemos tão afectados pela crise. Bem ! Em último caso podemos sempre ir pedir emprego á Câmara não é verdade ?!!!

jose disse...

Se se investe só e unicamente nas infra-estruturas não se dinamiza a terra e a economia local que depende do Turismo e da Construçõo para sobreviver. Antigamente era gasto o mesmo dinheiro em "Agatas e afins" e artistas com qualidade duvidosa para "engraxar" o voto da comunidade local sem atender ao que a terra necessitava e visando apenas conquistar os mesmos, agora aparece uma equipa que ,como não poderia deixar de ser , tambem erra, a dinamizar a Freguesia e o Concelho com mais investimento na Manta Rota nos ultimos três anos do que foi feito nos dez anteriores e vêm os habituais velhos do restelo e, alguns que se bateram por ideais revolucionarios de liberdade, a quererem á força impor a sua vontade e a protecção da "sua" Manta Rota que de sua apenas tem,na maior parte dos casos, os 50 ou 60 metros da casa alugada(ou garajem)herança de anos de descalabro Urbanistico.
Esqueçendo-se que sem impostos, que resultam das taxas sobre esse mesmo desenvolvimento, não será possivel a esta terra crescer criar trabalho e financiar as tais estruturas tão necessarias.
O progresso e desenvolvimento nem sempre melhoram as coisas, os sítios ou as pessoas mas é incontornavel e indispensavel e não se lhe pode virar as costas.Muito poderia ser melhorado e feito por pessoas mais preparadas para o efeito, sem duvida!
O que não se pode e ser cego e não admitir que pior seria deixar tudo na mesma!!
Só a titulo de exemplo reparem no projecto do parque da Manta Rota.A primeira vez que ouvi falar do mesmo foi no seculo passado!!!
Placas e plaquinhas anunciavam ano após ano a construção do mesmo e a reablitação da praia e agora de um ano para o outro está feito!!
Desde aqui envio os parabens ao Executivo que tem feito um grande trabalho para a valorização,modernização e promoção do Concelho.

JM

matilde disse...

Lá conseguiram estragar uma das melhores zonas do Algarve! Se isto é Progresso, vou ali e já venho...
Apesar de tudo, queridos amigos, tenham boas férias, que pelo menos o mar, o sol e a areia ainda lá estão e continuam uma maravilha(até ver, claro!).
Matilde

Anónimo disse...

Se há... é porquer há!
Se não há... é porque não há!
Realmente não há é quem vos entenda!
Secalhar seria melhor fechar tudo na Manta Rota e quando quiserem vir de férias não há nada pra ninguem!
vão pastar... seu parolos

RL disse...

O anónimo parôlo
ficou assim por pastar tanto ruído.

Anónimo disse...

Só há detalhe. A Ria Formosa acaba em Cacela Velha. A Manta Rota não faz parte da Ria Formosa e muito menos das Ilhas Barreira. Alíás, a Manta Rota nem sequer é uma ilha...

vrsa fronteira c/espanha e resto de portugal disse...

gosto de sair a noite, gosto de praia e ja gostei mais de discotecas ,mas o que sempre gostei foi de chiringuitos ,as pessoas sao mais sociaveis e diverten se de uma maneira mais descontraida .Musica ao vivo e espaços mais familiares e aposto que nao deixa ninguem indiferente ... ha sempre alguem que nao esta de acordo ,mas o sahara é ja ali ao lado !

Anónimo disse...

Publicidade
Queremos mais publicidade!
Vá comentem... mas não se assinem porque assim não vos deixam entrar no Manta Beach Club!

João disse...

Moro em Évora, há mais de 15 anos que não vou à Manta Rota, mas fiquei a saber que o dinheiro dos meus impostos teve mais uma "fantástica" aplicação: discoteca financiada a 50% por uma empresa municipal, constituída com dinheiros públicos. O pasquim da cidade (Diário do Sul) tem exibido diariamente fotos de alguns dos empresários da noite local - agora também algarvia - ao lado de diversos inúteis profissionais de festarolas e revistas cor-de-rosa. Antes de ir dormir mais descansado com este bom(!) exemplo de administração de dinheiros públicos, alguns desabafos:

1º) É um escândalo que uma empresa do Estado viole impunemente a lei do ruído, com o beneplácito das autoridades presentes.

2º) Sendo Portugal um país com um profundo atraso de desenvolvimento educacional e cívico, em vez de apostar na sua recuperação face aos restantes parceiros europeus, continua a desbaratar dinheiro em actividades económicas efémeras, que de desenvolvimento estrutural nada trazem.

3º) Nos últimos 22 anos, desde a nossa entrada na então CEE, enquanto outros apostaram no DESENVOLVIMENTO, por cá gastou-se 1.000.000 euros/dia em CRESCIMENTO: caos urbanístico, degradação das águas e do solo, aumento da corrupção e do oportunismo, etc. etc. Volvidos este tempo, somos os penúltimos dos 27, temos o país mais degradado e os nossos recursos humanos são os menos qualificados. Mas não há crise. Pelos vistos o que a malta quer é beber uns gins em ambiente ensurdecedor! E se alguém protesta é porque tem inveja de não poder dar um beijinho à Maya ou à Cinha Jardim.

Jorge Nascimento Fernandes disse...

Obrigado pelos vossos comentários. Estou francamente satisfeito pela magnitude da discussão. É evidente que teria muito prazer a responder a cada um dos intervenientes, mas como são tanto e tão diversos os assuntos, que me limitarei unicamente a comentar algumas afirmações mais polémicas.
Primeiro, a minha ligação à Manta Rota é muito mais forte do que a simples estadia de 15 dias, no Verão. Como é perceptível pelo meu post venho para a Manta Rota há mais de 60 anos, o que já me torna um filho adoptivo da mesma. Num livro que recentemente foi editado pela Câmara, sobre a Manta Rota, aparecem fotografias minhas com uns 16 ou 18 anos. Portanto, tenho um longo passado ligado a esta praia.
Segundo, para informação de um blogonauta mais distraído, o limite Leste do Parque da Ria Formosa é mesmo a estrada principal da Manta Rota. É por essa razão que ainda não foram capazes de dar cabo da duna secundária, ou seja, a pequena falésia, que se estende entre a Manta Rota e Cacela a Velha. O limite Norte desconheço, mas uma simples consulta ao mapa que está no site do Parque retirará qualquer dúvida ao nosso apressado comentador.
Quanto às ilhas barreira, percebe-se que houve, mais uma vez, uma leitura apressada do meu texto. Eu não digo que a Manta Rota fica situada naquelas ilhas, mas que ao contrário das praias situadas nestas, aquela tem acesso directo por carro. Mas quem gosta de encontrar sempre ciscos no olho do vizinho esquece aqueles que tem no seu.
Por último, gostaria só de reafirmar que o problema central abordado pelo post que mereceu os vossos comentários é de que aquela discoteca é demasiado barulhenta e apesar da situação ter melhorado – quanto a mim devido aos ventos, que neste momento estão a soprar do norte, levando o som para os peixinhos –, pelo menos no dia referido e alguns dos seguintes, em menor escala, o som impedia o sossego de quem tinha o direito de dormir descansado. Se há uma lei contra o ruído, ela tem que ser cumprida.

Algarvia disse...

Não sei que tipo de pessoa é que perde tanto tempo a implicar com uma coisa destas. Suponho que seja mais um daqueles que vem para o Algarve passar férias e que só anda a chatear as pessoas que trabalham todos os dias e que tem que aturar as esquisitices dos "turistas", que andam por aí todos os dias a encher as estradas, vazar os supermercados e que só sabem correr todos os dias para a praia com medo que a água se acabe.Agora uma discoteca?lol.
Sim, eu sou uma das jovens que a frequenta e comcordo plenamente com este tipo de projectos.Manta Rota está muito melhor do que antes...ou preferiam aqueles estacionamentos cheios de pó e terra e as passadeiras todas partidas?A discoteca não resolve a crise, mas é graças a atractivos como este que as pessoas da zona algarvia se sustentam, e infelizmente aos "turistas" que vem para cá gastar o que pouparam o ano inteiro só para estar no Algarve.
Tenho a acrescentar que isto não se aplica a todos os turistas, sou de acordo com o turismo, mas há-ja paciencia para certos alfacinhas e companhia que tem a mania que os algarvios estao aqui para os servir e aturar todas as reclamações...se alguem tiver que reclamar, que sejam as pessoas que acordam todos os dias as 6 da manhã para trabalhar e nao aqueles que querem dormir para depois passar o dia de barriga ao sol.
E não se preocupem porque a praia não foge, as crianças tem espaço mais que suficiente para brincar.Deviam era preocupar-se com o que não fazem e não com o que fazem.
E à noite, para quem está assim tao perturbado só tenho uma coisa a dizer: Quem está mal, que se mude! :p

E quem nao gostou paciencia... porque este é a maior virtude dos algarvios.

Passem bem

Jorge Nascimento Fernandes disse...

Resposta a uma menina vivaça e apressada

Mais uma que não leu o meu post, se tivesse lido não dizia as coisas que escreve. Ainda a menina não era nascida já eu vinha para a Manta Rota. Por outro lado, relembro com nostalgia a Manta Rota do passado, mas confronto-a com as vantagens do progresso. Por último até digo bem do novo reordenamento da praia. Quanto à discoteca só se pedia que fizesse menos barulho. Mas também acho que uma Câmara Municipal não está vocacionada para investir dinheiro em empreendimento deste tipo, muito mais dirigidos particularmente a VIPs, que podem encantar as revistas cor-de-rosa e os corações de quem também gostaria de ter 15 minutos de fama, mas que não têm cheta para deixar aos tais algarvios de que fala a menina.

Um turista que gostou disse...

Odeio VIPs e pseudo-VIPS. Adorei a discoteca (estive em Monte Gordo, para onde vou sempre), e faltam mais na zona. Se o problema é fazer muito barulho... por amor de Deus, isso é inerente ao conceito de discoteca.

algarvia disse...

loool
Não sei qual é a ideia das revistas cor-de-rosa e dos vip's.a maior parte das pessoas não vão lá por isso...muito menos eu!Acho que a discoteca é muito mais do que encantar por 15 minutos de fama!loool.Por isso vai lá tanta gente.
Eu moro a 10minutos da Manta Rota, sempre fui lá a praia e não tenho razao de queixa...
Mas pronto, nem toda a gente pode pensar assim e gostos não se discutem...
passe bem

Anónimo disse...

"Venho ca à mais de 60 anos..."
Irrita.me profundamente as pessoas qe vem c/ estas histórias e xegam a conclusões do tipo... "ja não e o qe era!", "isto ta diferente"...ou merdas do genero!

1* Tipo, se qerem ir descançar pq n vão pa serra, po alentejo, ou assim... Tem calor, tem praias e tem o tão apreciado DESCANÇO! Agr pro Algarve? Em pleno mês de Agosto? N e propriamente 1 ideia inteligente!

2* "Aqilo n e musica e poluição sonora" Qe comentário tão construtivo este... Cada um gosta do seu estilo, n vejo qalqer interesse em discutir tal coisa! (Havia de ser bonito Fado e Pimba nas discos! XD)

3* Não acho normal qe as pessoas da terra não falem (MAL) 1 terço do qe vcs falam sobre "O MANTA"! Talvez qeira dizer alguma coisa...^^

Pr ultimo... fazer um post sobre isto?! Não se arranjava nada melhor... XD

Bem, de qqr forma... BOAS FÉRIAS! ^^

Jorge Nascimento Fernandes disse...

Como velho marreta que sou, não suporto esta escrita apressada e de gatafunhos que resultam da abreviatura das palavras. Parece – os linguistas falam disto – que o envio de SMS e a escrita no “messanger” está a criar uma nova linguagem. Paciência, não me adapto aos novos tempos. Eu ainda tento escrever em português escorreito e perceptível, o resto não percebo nem quero perceber. Se este anónimo fizer um esforço para se fazer entender, então responder-lhe-ei com muito gosto.

Anónimo disse...

"Venho ca à mais de 60 anos..."
Irrita.me profundamente as pessoas que vêm com estas histórias e chegam a conclusões do tipo... "ja não e o que era!", "isto esta diferente"...ou merdas do genero!

1* Tipo, se querem ir descançar porque não vão para a serra, para o alentejo, ou assim... Tem calor, tem praias e tem o tão apreciado DESCANÇO! Agora para o Algarve? Em pleno mês de Agosto? Não é propriamente 1 ideia inteligente!

2* "Aquilo não é musica, é poluição sonora" Que comentário tão construtivo este... Cada um gosta do seu estilo, não vejo qualquer interesse em discutir tal coisa! (Havia de ser bonito Fado e Pimba nas "discos"! XD)

3* Não acho normal que as pessoas da terra não falem (MAL) 1 terço do que vocês falam sobre "O MANTA"! Talvez queira dizer alguma coisa...^^

Por ultimo... fazer um post sobre isto?! Não se arranjava nada melhor... XD

Bem, de qalquer forma... BOAS FÉRIAS! ^^

PS: Os gatafunhos ou letra apressada como você diz, não quer dizer que não se saiba escrever "português correcto e perceptível"...Nem tem como objectivo substituir nada! Apenas serve para poupar tempo, e principalmente DINHEIRO! (Tal como as SMS, a Internet também e paga...)(POR FAVOR...)

Jorge Nascimento Fernandes disse...

Quanto ao último anónimo. Obrigado por ter traduzido a sua prosa anterior.
A todos os outros intervenientes. Acrescentei um PS. ao post posterior a este onde reconheço que o barulho desapareceu e por esse motivo uma parte dos meus protestos deixaram de ter razão de ser. Se quiserem podem continuar a escrever que eu farei o possível por responder.

Anónimo disse...

Se fazem tanto barulho "como certos insatisfeitos dizem" porque vem para cá?porque nao vao para as serras?ou para o campo?ou tambem o barulho dos passaros e dos animais encomodam?Quem tiver mal que se mude.....e a juventude?o que faz?fica em casa a ver televisao?Nao pensem só em voces.....pensem nos outros!Agora pode-se falar no nome Manta Rota que da prazer....

Anónimo disse...

Viva
Não é dificil percber a polemica causada pelo dinheiro dos nossos impostos. MAis se diga que se sucedesse em Espanha o ruido que foi acalmado..., as autoridades intervinham, como o têm feito, basta estamos atentos à TVE I.
Quanto aos "impostos", qual será o retorno do investimento? será em imagem? - que familia vai querer alugar um apartamento para férias? será no retorno que a empresa municipal / Câmara vão bter? será em prestigio social? ou trata-se apenas de despesismo avulso?
Apressa-se outra dúvida? as duvidas são assim, apressadas com desejo de ser debatidas!
Investiu-se tanto, e continua-se a investir, na recuperação da Reserva da Ria Formosa e sua envolvente, com demolições, tntando captar um turismo com uns alforges mais carregados, mas também masi exigentes e em plena duna, e a própria Câmara, concerteza com o consentimento de seu presidente, constroi um equipamento em cima de duna primaria.
Será que não vamos er no proximo ano não um ruidoso Manta Beach, mas sim o ruido de betoneiras a construir mais um Hotel Dunas?
Com o tempo se verá, e com estes pequenos erros pode ser que se aprenda alguma coiusa para um futuro melhor.
Parabens ao Bloger

Anónimo disse...

Eu tb estive lá e à falta de diversão, apesar dos meus 48 anos, ia habitualmente beber café e estava lá precisamente no dia da visita da GNR em conjunto com a ASAE. Pensei estas casas de banho estão uma vergonha e agora obviamente para fechar isto, mas não meus senhores, a policia saiu e tudo continuou na mesma e eu tive que sair mais cedo porque me recuso a aliviar as minhas necessidades fisiológica, no cubiculo cheio de caca onde o cheiro, naseabundo de tal forma, incita ao vómito
Chamo Beatriz Rosa. Estou como anómima por não ter Password

Anónimo disse...

ah e esqueci-me ainda de dizer, não peçam caipirinha porque, ou lhes dizem que não há e aí se forem com eu contestatárias vão falar com alguém responsável e depois claro que há caipirinha com pedregulhos de gelo, onde já se viu, até na tasca mais ranhosa de Lisboa, servem a caipirinha com gelo picado.

Eh Eh e a zona VIP, qualquer um é VIp desde que pague 25 € em vez dos 5 ou 10, à 6ª e Sábado.... que VIPALHADA é esta LOLO
beatriz rosa - Lisboa

Anónimo disse...

Não se poderia esperar mais nada de pessoas deste concelho..pessoas com mente fechada,quadradas..criticam tudo,estão contra todas as medidas!francamente,tal como foi dito antes,quem quer paz e sossego nao vem para o algarve no mes de agosto!e minha cara que disse que antes nao morriam de fome..acredito que não,ate porque essa frase é de um extremismo profundo,mas convenhamos que as modificações na manta rota troxeram muito mais turismo,e pessoas que antes nao iam para la passear,agora colocam manta rota como opçao.e isto porque?porque deixou de ser um DESERTO!e quem não vive cá não tem moral para falar,porque não encarou a evolução da manta rota todos os dias!agora não venham por em causa a evolução e divulgaçao de um sitio porque querem dormir,ainda por cima uma coisa que é apenas durante o verao!é um bocado comentario de populaçao envelhecida.vao la perguntar a populaçao de portimao se querem que o sasha feche!acredito e RESPEITO que hajam pessoas a quem ja nao lhes diga nada ambientes nocturnos,mas sejam coerentes..ja tiveram a vossa epoca..nao queiram cortar as asas aos mais novos,alem do mais é um sitio optimo,com bom ambiente,e posso dizer que com boa musica dentro do genero (a senhora que disse que era poluiçao sonora ha de enviar para o blog uma lista com os seus gostos musicais)..para terminar..o bom gosto reside em gostar um pouco de tudo (e nao me estou a referir somente a musica).

ps.quanto ao barulho exagerado,foi apenas nas noites em que os espectaculos eram no palco.e penso que as coisas podem se resolver de formas mais pacificas.nao é por voces que um estabelecimento vai fechar,a nao ser que apresentem uma motivo realmente importante.porque,pelo que li,so vi palha,peço desculpa o termo

Cumprimentos
AR

Anónimo disse...

vim-me corrigir..ha um comentario que foca coisas importantes e talvez as unicas criticas cruas que se podem fazer ao municipio e ao estabelecimento.
o da comentadora maria eduarda.

AR

Anónimo disse...

Agora que o Manta Beach já fechou ja não se podem queixar...
Mas preparem-se quepara o ano há mais....
hehehehe

Anónimo disse...

Este blog é um mau investimento de tempo. isso ninguem comenta???
Quem perde tanto tempo sobre uma discoteca, so pode ser aquele tipo de turistas, que nós algarvios bem conhecemos, vao comprar peixe ao mercado e compram uma sardinha para cada elemento da familia. ou vao ao restaurante e so comem as entradas, ou dividem uma sopa para tres. para ja nao falar nos que dividem o cafe todos os dias. nao precisamos deste tipo de turistas. Sou algarvio, mas devido aos estudos moro em lisboa, e acreditem como é bom morar no algarve, com manta ou sem manta, pelo menos nao tenho todos os dias do ano o barulho horrivel do carros a passar na ponte 25 de abril, nem os avioes a aterrar no aeroporto... isto para nao falar das pessoas a pedir na rua. o Algarver pelo simples facto de existir é luxo, para quem mora em lisboa. e Viva ao Manta Beach. LOOL

Anónimo disse...

aí á que é amigo C...G... :) e eu que sei como são esses turistas, veem pra cá passar os belos 15 dias e a passar fome, como já referis-te... uma entrada do manta bech eram 10€, muitos deles gostavam de ter lá entrado mas como os €€€ já vinham á conta...
Para o ano á mais, assim já estão mais mentalizados que vão encontrar em manta rota pelo 2 ano consecutivo a bela discoteca... a ver se chegamos aos 20 anos de loucura com o manta bech.... já que dizem que tiveram 20 anos de sossego...

Anónimo disse...

Chamo-me Miguel Madeira, frequento a Manta Rota desde que nasci, à 32 anos. Acho piada a muitos comentários que li aqui e que ouvi na Manta Rota. Para uns o Manta é impensavel para outros muito bom, é dificil agradar a todos. Fiquei muito satisfeito com a abertura do Manta, dado que assim conseguiria sair a noite com a minha esposa, reunir a familia e amigos. Não teria de percorrer 160kms, para ir e vir para o outro lado do Algarve, para me divertir, sujeito a ter algum acidente, ou então ir até Espanha, se calhar devemos alimentar ainda mais os Espanhois. Se ja tivessem tido esta ideia á mais anos eu não teria assistido a algumas situações muito, mas mesmo muito desagradáveis.

Se alguns dizem que frequentam a Manta Rota á muitos anos, certamente lembram-se da FOLIE, será que na altura tambem de queixaram do barulho?? Nessa altura acredito que não porque frequentavam.

Relativamente a ser ecológico, acredito que maior parte das coisas o seriam, quase tudo era desmontavel e reutilizavel. Para as pessoas que gozam com a ecologia do Manta e que falam das alterações que a praia e suas infra-estruturas tiveram, e que efectivamente melhorou e bastante, como conseguem ir para a praia de carro??? Não estão a ser ecologicos!!!

Anónimo disse...

parabens manta beach club
e todos os investimentos que queiram complemantar o sol e praia
haja coragem de inovar
lamentáveis alguns comentário de velhos do restelo
lamentável como a ideia de VIPs vos aborrece
O espaço era aberto a todos
Eu gostei e estava muito bom
Haja liberdade, quem não gosta não vai.
resultado um sucesso, gente de todo o País nunca se falou tnato de Manta Rota
Seguramente incrementou visitantes, actividade económica.
deixem de hiprocisia, assumam que são dos que não fazem , nem deixam fazer

Parabéns Manta Beach Club

Anónimo disse...

É obvio que alguns turistas querem é sossego, mas tb é lógico que quem vive cá 12 meses por ano,e nao 15 dias ou um mês, queiram aproveitar o maximo de rendimento possivel e de uma forma "mais ou menos" sustentável.

LOLOL

A propria camara Municipal,Com o dinheirinho que os bares e negocios pagam investe em espectaculos que desviam a clientela dos mesmos... só rir!!!
Até os bares do manta beach club são explorados por pessoas de fora,nem se ouviu falar de concurso nem nada p atribuição de nenhum deles. Isto tudo n passa de uma mega campanha disfarçada.Ah e tal fazer amiguinhos entre os vips e um dia estou n assembleia. So um cego n ve,parabens! (E depois vêm-se fazer de coitadinhos e so querem ajudar o povo)
O dinheiro que gastaram em trazer o bisbal não o dão as instituições q bem precisam... Tristeza de pais

Anónimo disse...

Se nao gostarem do Manta Beach, este ano sempre podem visitar o Jimmy-E, ao lado da Kadoc.

2009

Anónimo disse...

Axo que quem tem que decidir se o Algarve tem que evoluir ou não são os Algarvios, estes não se "metem" nas decisões que são tomadas em Lisboa ou no Porto! Os turistas vêm ao Algarve porque gostam! Não queiram encontrar uma terra como encontraram à 20 anos atrás, não somos "primitivos" , também temos direito a evoluir em todos os sentidos, porque não o Manta Beach?Quem não gosta de ouvir bons djs, ver grandes concertos, festas eventos etc..ou só por ser no Algarve tem que se resumir a sol e mar?? os turistas que me desculpem mas nós estamos cá todo o ano e se não for no verão que tenhamos estes eventos teriamos um verão igual a um inverno e isso não vamos permitir!! O barulho da música incomoda?? tenham paciência..nas grandes cidades que é de onde a maior parte de vocês vêm têm barulho menos saudável , como trânsito, aviões..etc Sem contar que têm n sei quantas discotecas, fazem "n" concertos, eventos o ano todo..e reclamam por nós termos no verao??desculpem mas não vivemos só de sol e mar...e digo mais..bom seria se srs como Tony pereira/Libertos, Rui Caralinda do Capitulo, Guerreiro da Kadok abrissem no sotavento algarvio grandes casas!

CP

Anónimo disse...

ñao se preocupem que o dinheiro dos nossos impostos vao mais para a capital do que para o Algarve..era só o que faltava estarem la o ano todo com a possibilidade de assistir a todo o tipo de eventos e diversão e quererem chegar ao Algarve e tirarem-nos isso.como é possivel argumentarem sobre isto?

Anónimo disse...

Boa Tarde, espero nao estar a ser incoveniente mas como jovem que sou gostaria de ter mais informaçoes sobre esta dicoteca, este ano vou passar ferias nessas bandas e gostava de saber se têm algum site que se possa consultar.
Obrigada.

Anónimo disse...

Li todos os posts colocados e, na minha opinião, muitas vezes entrou-se em discussões que se desviaram do cerne da questão:

Lembrando a mensagem original:

"Manta Beach Club, um caso errado de investimento autárquico"

1- Se por um lado é uma questão de gosto (e estes, diz-se, não se discutem!), o facto de passar a existir um equipamento de lazer/animação , que complementa a quase inexistência de estabelecimentos deste tipo no concelho, e justifica a vinda de turistas para a zona com todas as vantagens que dai advenham,

2- Se se cumprirem todos os requisitos legais para a implementação deste tipo de estabelecimentos,ou seja: o cumprimento dos níveis de ruído, horário, higiene, segurança, etc.,

tendo a respectiva autorização da entidade que é "dona" da parcela de terreno onde o mesmo se insere (PNRF),e zelando pelo cumprimento de todas as exigências da mesma para o local em questão (ambientais e outras)

3- Se se derem igualdade de tratamento a outros promotores que pretendam exercer actividade do género no concelho, licenciando os mesmos com a mesma celeridade que tiveram ao auto-licenciar o seu próprio local,

4- Se procurarem não lesar os justos interesses dos comerciantes locais que pagam impostos, taxas, criam emprego, mantêm a animação nocturna durante todo o ano, etc.,

Parece-me que poderia perfeitamente existir o citado espaço, já que assim contribuiria também para uma necessária oferta de animação (de que a zona carece), criaria postos de trabalho,atrairia turistas e evitaria que outros demandassem outros concelhos procurando essa animação, entre outros aspectos.

Onde reside o busílis da questão, parece-me ser principalmente em dois motivos:

A) Sendo a SGU uma empresa que funciona com dinheiro dos contribuintes, poderia (quanto muito) promover, dinamizar e apoiar (com algumas verbas, meios etc.)o Manta Beach Club,actuando como, digamos, o "motor de arranque" do mesmo;
Poderia também lançar os concurso/s para a realização do mesmo, mas nunca assumir-se como a entidade exploradora do evento, tornando-se assim numa concorrência injusta e desleal para os comerciantes do ramo, já que é impossível a um privado concorrer com as verbas e apoios que uma autarquia (ou a SGU)podem colocar no terreno.

B)Os comerciantes locais, das áreas necessárias à realização do evento deveriam (no mínimo) participar prioritáriamente, oferecendo os seus serviços: (bares, limpeza, montagem do recinto, som, luz, artistas, etc. etc.).

Se assim fosse, parece-me que haveria muitas mais vozes concordantes com a realização do evento, não teria existido tanta polémica ao redor do mesmo, muito mais gente "lucraria" com tudo isto e teria sido muito mais transparente para os contribuintes.

"Manta Beach Club, um caso errado de investimento autárquico" ??

Como foi em 2008 parece-me que sim!

Como vai ser em 2009 ainda muito mais !!!!

Mas.........poderia ser tudo possível, justo e ao agrado de quase todos.

P.S. Sempre e só, se:

1-Nenhum promotor privado pretenda fazer algo do género, e,

2-Se mantenha a não existência de estabelecimentos de diversão nocturna do género (discoteca) na zona!!!